Busca

Albergue de Mim

mês

fevereiro 2016

Meu amor por você
é que nem cólica.
Começa forte,
mas logo vai se
embora.

Falo para mim que é só mais um gole.

Só quero beber mais um gole,

só mais um gole

da tua saliva,

tequila

limão e sal.

Me embriagar por um instante

sem lembrar da ressaca,

que para mim já se torna distante….

Teus cabelos lisos em tons de azul e verde lembram as ondas dos mares, enquanto eles voam nos teus rodopios de dança reparo nos teus olhos castanhos como tempestade, olhos com um brilho de tristeza. Meu olhar vai descendo e encontra tua boca que vive a sorrir escondendo tamanha infelicidade que guarda em si.

Minha mente não consegue compreender o egoísmo que carrega em relação a ti, sem em nenhum momento se permitir distribuir seus pesos para ter um carga mais leve. Sei que no teu coração guarda joia rara só perdeu o caminho para encontra-lá… E em você há sempre uma mistura de reagentes antagônicos com suas ligações intensamente fortes e tudo em ti é sentir, é senti-las da cabeça aos pés . Sinto que viver assim é uma aventura desgastante.

No tom

Breves sussurros

no canto do ouvido

palavras entoando

em dó sustenido.

 

De tempos em tempos minha mente retoma flashs de nós como se eu estivesse tão próxima da morte. Naquele breve instante meus olhos ardem devido ao sal das lágrimas e as  palavras ressoam te tal maneira que parece que minha mente é uma enorme sala sem móveis, mas quem dera que fosse… Ela vive cheia de tantas dores, saudades, questionamentos e atos cometidos que ficam em estado de loop.  Já não sei contar as madrugadas que perdi por tamanhas idiotices e pensando bem sou de humanas então nunca soube contar mesmo.

Coração na beirada

Navega pelas águas rasas,

Assim ilusoriamente protege

sua embarcação de naufragar.

Mas teu coração já na beirada

Cai e se afoga no mar.

 

 

Dói quando a minha visão periférica capta no canto da sala o teu corpo cansado e destruído, mesmo sem marcas aparentes. Dói ver os teus olhos castanhos perturbados, como se houvesse uma tempestade interminável sobre eles. Dói ouvir cada palavra de incredulidade que a tua boca profere e quando guarda algumas pra si. Dói assistir seu estado de estagnação na vida parecendo que segue em um ciclo interminável. E dói ainda mais olhar a sua busca incessante pelo vazio que não preenche sua alma. A ti meu caro desejo a clarividência para que enxergue o mal que se faz a partir de visões erradas de outro alguém, tomando-as como verdade para si. E caso o universo me conceda mais um desejo, eu só peço sua liberté.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑