No verão a gente tem sede e pede sede. Quando os corpos estão suados e sentem até uma certa repulsa, nós mesmo assim queremos estar juntos no espaço. Porque a presença nos refrigera. Pedimos férias do nosso desgastante cotidiano, que usamos com coisas que pouco nos interessam e algumas vezes dançamos até ás cinco da manhã. Mesmo que fiquemos cansados…
Vemos o pôr-do-sol ás sete e pouca da noite e pedimos aos céus que nos tragam estrelas. No dia seguinte aquela chuva passageira que lava a alma, sem deixar tudo cinza. Pedimos que tenhamos grandes histórias, a gente pede, a gente faz, a gente tem sede e a gente cede o quanto puder. No hemisfério sul quando chega o verão seria o fim do ano e apenas o começo…

Anúncios