A manu é um pedacinho do céu. Um pedaço do mar. Agito das ondas. Manu, é o doce que não enjoa. A risada boa de quando se ri com verdade. O seu próprio universo. O sol que se doa sem perder a luz e o brilho. A curiosidade. A representação das tantas perguntas sem respostas. Os questionamentos que nos despertam para como a vida é formada. Como tudo é estruturado e construído. A sede de vida. Os pequenos goles que aos poucos se tornam uma garrafa inteira já bebida. Ou que nos tornam um copo que transborda o que é puro, feliz e simples. Um lembrete do que um dia fomos, do que somos bem no fundo. Olhos. Boca. Gestos…Que ampliam o nosso amor a cada dia. Que nos dá saudade quando não tá perto. Cheiro. Colo. Soneca. A cabeça que muitas vezes encostou no nosso peito e dormiu ali serena. O presente das “Bodas de quinze anos” do meu nascimento. Gerado no ventre de alguém que só me deu amor. A pessoinha que me arrancou as lágrimas mais sinceras de felicidade. Que me reconheço. Que me faria em pedaços. Uma brabuleta azul dessas que passeiam nos estômagos dos apaixonados. Que desperta a nossa criatividade. Que nos faz criar anedotas sobre fantasmas, monstros…Que desenha um robô pra você e te faz sentir amada num daqueles dias que parece que nada vai dar certo. Que os anos passem, a ternura jamais. E a certeza desse sentimento de prima permaneça. Como diria Rubel : “Só não se esquece que eu sou parceiro (no caso aqui parceira) e sei mais” Porém, me contradizendo, talvez você saiba muito mais… Feliz Cumpleãnos Chica, Pequerrucha e Amore Mio 💜

Anúncios